Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para busca 3 Ir para rodapé 4
Acessibilidade 5 Alto contraste 6

O que aconteceu na Trigésima Sessão

Publicado em 27/09/2018 às 16:51 - Atualizado em 27/09/2018 às 16:53

Na Trigésima Sessão foram apresentados e encaminhados para as quatro comissões legislação justiça e redação final presidente Amarildo Turmina, finanças e orçamentos presidente Alexandre Serigueli, educação, saúde e assistência social Presidente Elizane Lidani e obras e serviços públicos presidente Osmar da Silva, os Projeto de Resolução n°001/2018 que dispõe sobre a utilização do veículo de propriedade da câmara municipal de vereadores de Arroio Trinta e Projeto de Resolução n°002/2018 que altera a Resolução 003/96 e dá outras providências. Posto em votação o Projeto de Lei n° 015/18 que dispõe sobre os tributos de competência municipal e define as regras para arrecadação. Na sequência do relato feito pelo relator da comissão de legislação justiça e redação final Lídio Manenti seguiu com aprovação unânime. Também passou a votação e foi aprovado por unanimidade o Projeto de Lei n° 018/2018 que autoriza urbanização de área para fins de implantação de loteamento/ desmembramento destinado a atividade urbana e dá outras providências. O mesmo foi relatado pelo vereador Junior Cezar Biava relator da comissão de obras e serviços públicos. Passada a palavra livre: vereador Lídio Manenti deixou sentimentos a Marli e Magda Copini pelo falecimento do senhor Vítor Copini ex funcionário público exemplar. Deixa sua indignação a jornais que não publicam as essências das indicações e que acrescem palavras não ditas. Falou do projeto de Lei n° 012/2018 que foi rejeitado, sugere criação de um departamento próprio e responsável técnico para acompanhamento, assim como o vereador Amarildo também acredita nesta ideia. Vereador Osmar da Silva diante de uma reportagem diz que o vereador foi eleito para legislar e não plantar flores. Vereador Amarildo comentou que deve – se pôr em prática o uso do formulário na secretaria de agricultura como diz o artigo 55 da lei 1649/2014 que rege estes benefícios, para que não haja reclamações como está acontecendo de ou não ser atendido ou ser atendido antes ou depois do fulano. Seria somente adotar algo que já foi aprovado.


Galeria

  • {{galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
  • {{galeriaMultimidia.length + galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
Fechar

30° Sessão